Histórico


Histórico

O PATRONO FREDERICO SOARES


Filho de Manoel Joaquim Soares e Oresciliana dos Santos Soares, Frederico nasceu em Rio Claro, cidade do interior do Estado de São Paulo, a 2 de julho de 1903.
Seus estudos foram realizados alternadamente em escolas de Piracicaba, também em São Paulo, em sua cidade natal, onde concluiu seu curso de contabilidade.
Seus anseios por viver uma vida mais independente e ligada à arte, pois já contava com a instrução violinística.
Retornando a Araraquara, São Paulo, onde se empregou como guarda-livros em diversas firmas locais. Dedicando seus momentos de lazer aos estudos musicais com os mestres da cidade, logo seu talento foi reconhecido, passando a participar de agremiações dedicadas à música erudita.
Era também muito requisitado para as serestas, tão comum naqueles tempos, e até chegou a animar cinemas com a sonoridade de seu violino, numa época em que os filmes eram mudos e o instrumento era o piano.
No dia 15 de setembro de 1927 casou-se com Luigia Bonetti, com quem teve cinco filhos. Exercendo o cargo de Contador da Prefeitura de Araraquara, foi convidado para ocupar o mesmo cargo na prefeitura de Campo Grande, quando a cidade era administrada pelo prefeito Eduardo Machado. Em 10 de maio de 1940, em plena Guerra Mundial Frederico Soares chegou a Campo Grande.
Sua participação na vida cultural de Campo Grande foi significativa. Aqui formou a primeira diretoria da Associação Brasileira de Instrução Artística - ABI e, juntamente com outros artistas de grande valor, como maestro Frederico Liebermann, fundou a Orquestra Sinfônica de Campo Grande.
Em Campo Grande, foi professor da matéria nos Colégios Dom Bosco e Oswaldo Cruz. Como técnico em assuntos administrativos e contabilidade pública, foi requisitado por diversas prefeituras do Estado de Mato Grosso, para reorganizar seus sistemas administrativos e de arrecadação. Entre as cidades onde trabalhou cita-se Rochedo, Camapuã, Ribas do Rio Pardo, Jaciara, entre outras.
Frederico Soares foi um dos sócios fundadores da Sociedade Miguel Couto dos Amigos do Estudante, tendo prestigiado até os seus últimos dias a sua inspiradora, professora Oliva Enciso.
Frederico Soares prestava serviço ativo nos escritórios da empresa Laticínios Campo Grande S/A quando contraiu uma doença que o consumiria inexoravelmente, vindo a falecer em 3 de março de 1973, deixando sete filhos.
Seu amor por esta cidade foi tão grande, que em momento algum de sua vida ensaiou em deixá-la.
A Escola Municipal Frederico Soares, situada na região da Vila Popular, inaugurada em 27 de junho de 1976 recebeu este nome em sua homenagem pelo então prefeito Levy Dias. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário